MENU
BUSCAR
INQUÉRITO ABERTO

Morte do menino Henrique completa seis meses sem respostas

Laudo necroscópico indica que criança sofria maus-tratos e morreu após receber golpe na região da barriga.

Natan LiraPublicado em 04/05/2021 às 07:41Atualizado há 10 dias

Assim como o caso do garotinho Henry, que foi morto após diversas agressões do padrasto no Rio de Janeiro, o pequeno Henrique Costa dos Santos, de apenas três anos, também perdeu a vida por suspeita de maus-tratos, em Mogi das Cruzes, com apenas três anos de vida. 

A madrugada de 4 de novembro, em que Henrique morreu na Santa Casa, completa seis meses nesta terça-feira (4), mas sem muitas respostas. 

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) informou apenas que o caso é investigado, sob sigilo, por meio de inquérito policial instaurado pelo 2º Distrito Policial de Mogi das Cruzes. "Mais informações não podem ser passadas para não interferir no andamento das apurações", destacou o texto. 

O caso

Henrique foi levado pelo pai ao Pronto-Socorro da Santa Casa de Mogi. A médica que atendeu a criança chamou a Polícia Militar, após suspeitar que ela tivesse sofrido maus-tratos.

A profissional relatou às autoridades que o paciente apresentava “lesões, má higiene e ferimento na gengiva”.

Já o laudo da necrópsia apontou a causa da morte como trauma agudo do abdômen, por agente contundente.

Na delegacia, o pai, um ajudante de eletricista de 49 anos, negou que o filho fosse maltratado e disse que havia levado Henrique para o hospital após ele apresentar comportamento quieto e apático, e que ele tratava anemia. 

Moradores do bairro Jardim Aeroporto I ouvidos por O Diário confirmaram a informação de que o garotinho era maltratado na casa em que vivia com o pai e a madrasta. No entanto, afirmaram que as agressões ocorriam quando o pai não estava mas que, nos últimos dias, ele já estava ciente das agressões. 

ÚLTIMAS DE Cidades