Há uma boa notícia para a agenda presencial da cultura de Mogi das Cruzes, praticamente suspensa desde o início da pandemia da Covid-19. O Casarão do Chá está se preparando para voltar a receber o público, aos domingos, a partir deste dia 29 de novembro.

Trata-se de um centro de cultura, arte e história instalado em um prédio de beleza arquitetônica única, que conta a trajetória da imigração japonesa em Mogi das Cruzes e no Brasil, por meio de sua resistência à passagem do tempo e ao desmonte do patrimônio histórico nacional. Especialistas consideram o Casarão do Chá, joia rara na narrativa de preservação da memória e da história brasileira.

A primeira atração será a retomada da “Exposição de Fotografia Natureza Viva” e o recebimento do público, que permaneceu fechado por causa das medidas preventivas de combate ao novo coronavírus, mas registrou algumas visitas de pessoas que procuravam o lugar espaçoso e arejado, em meio ao bucólico bairro do Cocuera, um dos principais polos da produção agrícola regional, no passado.

Em meio a uma das mais belas paisagens rurais de Mogi das Cruzes, o Casarão do Chá é um prédio histórico restaurado por iniciativa do artista Akinori Nakatani, e da Associação do Casarão do Chá. Após 30 anos de obras de restauração, a antiga fábrica de chá Tokyo se transformou em um centro cultural que abre todos os domingos e promove exposições e encontros artísticos nacionais e internacionais.

A reabertura, aos domingos, atenderá todas as recomendações sanitárias, conforme conta Higussa Nakatani, presidente da Associação do Casarão do Chá.

O funcionamento deste espaço resulta de uma parceria com a Prefeitura de Mogi das Cruzes, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo.

A exposição de fotografia Natureza Viva é composta por aproximadamente 100 registros fotográficos do Grupo Jacutinga de Observadores da Natureza, com fotos de répteis, insetos, aves, mamíferos e inúmeros outros registros da natureza, principalmente da região de Mogi das Cruzes.

Vale a pena conferir: o Casarão do Chá abrira aos domingos, a partir deste 29 de novembro, das 9 ás 17 horas. A entrada é franca.